quarta-feira, 4 de abril de 2012

A internet profunda (Deep Web)

Buscado no Informação Incorrecta


Bom, meus senhores. Alguém entre os Leitores sugeriu falar dum assunto, a Invisible Web ou Deep Web.
Curioso, fui espreitar e fiquei de cabelos em pé. Mas vamos explicar.

O icebergue


Os motores de pesquisa ou busca (Google e os outros) não conseguem listar tudo o que está na internet. Aliás, conseguem listar muito pouco. Quanto? Eis alguns dados:
  • A informação publicada na Deep Web (ou Web profunda) é actualmente de 400 a 550 vezes maior do que a rede normalmente definida World Wide Web.
  • A Web profunda contém 7.500 terabytes de informação em comparação com os 19 terabytes de informação da Web "superficial".
  • A Web profunda contém cerca de 550 biliões de documentos individuais em comparação com o 1 bilião da Web de superfície.
  • Existem mais de 200.000 sites na Web profunda.
  • Sessenta dos maiores sites da Deep Web contêm no total cerca de 750 terabytes de informação, só por si suficientes para exceder o tamanho da Web de superfície quarenta vezes.
  • A Web profunda é a categoria com o maior crescimento de informações.
  • Os sites da Web profunda tendem a ser mais estreitos mas com conteúdo mais profundo, do que sites de superfície convencionais.
  • Mais da metade do conteúdo da Web profunda é constituído por tópicos específicos em bancos de dados.
  • Um total de 95 por cento da Web profunda é a informação acessível ao público, isso é, não sujeita a pagamentos ou assinaturas.
Para simplificar e entender melhor o que é esta Deep Web e porque os motores de pesquisa não conseguem localiza-la, é necessário entender o que é um database (nota: como não sou um "expert" no assunto, espero não escrever idiotices...): de facto é uma lista, que pode tratar de qualquer argumento. Os motores de pesquisa não conseguem "indicizar" ou "indexar", como se costuma dizer, os database que, portanto, são acessíveis apenas se tivermos o endereço directo.

O resultado é um oceano de dados que fica numa zona cinzenta ou escura mesmo. Ou sabemos onde procurar ou será extremamente difícil (talvez impossível) encontrar algo.

Para ter uma ideia é possível aceder ao site Complete Planet onde estão disponíveis mais de 70.000 database que são invisíveis aos olhos dos motores de pesquisa. É um mundo de informação onde se encontra tudo: música, religião, família, energia...não falta nada.

Então, fiquei assustado por causa disso? Não, porque esta é apenas um tipo de Deep Web, depois há outro.
Aviso

A Deep Web é também utilizada por quem não deseja que a própria página web ou blog seja visível. Porquê? Porque pode conter material não legal. E foi isso que espreitei.

Antes de mais:
  • não escrevam para obter explicações acerca de como entrar nesta web profunda, não vou responder, nem aqui nem via e-mail, pois este é um assunto muito delicado.
  • não tentem encontrar uma "entrada" para este tipo de web invisível com o vosso comum navegador (o browser, tipo Firefox, Chrome, Internet Explorer, etc.): além de não ser esta a maneira para entrar na Deep Web, podem pôr em risco o vosso computador e a vossa privacidade.
  • para esclarecer: não estamos a falar de alguns sites com vídeo de mulheres nuas, a Deep Web não tem nada a ver com isso. É algo bem mais profundo que não desfruta os normais recursos de internet. 
No geral, um conselho: fiquem afastados disso.
Como afirmado, fui espreitar e não tenciono voltar por duas boas razões:
  1. neste tipo de Deep Web arranjar problemas informáticos é uma brincadeira. Falo de vírus, de pessoas que podem tranquilamente entrar no vosso computador, roubar senhas e password e muito mais. E não pensem que antivirus ou firewall possam fazer algo, não é este o caso pois aqui tornam-se inúteis.
  2. no Deep Web é possível encontrar coisas que não podem ser encontradas na web normal. E se não podem ser encontradas, haverá uma razão para isso: são ilegais.
Mas quanto ilegais? Vamos ver.
O lado escuro

Eis uma breve e não exaustiva lista de assuntos que podem ser encontrados numa página Deep Web:
  • Bíblia demoníaca de Magnus, anticristo discípulo de Satanás (tá bom, até aqui nada de preocupante)
  • Gays e pornografia (nada que não possa ser encontrado na web normal também)
  • Hacking (idem)
  • Pornografia infantil
  • Mutilação genital
  • Snuff movies (filmes que mostram mortes ou assassinatos reais)
  • Mercado negro (de qualquer coisa)
  • Assassination Market (alugar um killer para matar alguém)
  • Informações detalhadas de qualquer pessoa
  • Destrancar portas (até de carros)
  • Explosivos (incendiários, molotov, correios, granadas, ácido)
  • Instruções para guerrilha
  • Trapacear os sistemas telefónicos
  • Conseguir uma nova identidade (bilhetes de identidades e cartas de condução falsos, etc...)
  • Cartões de crédito clonados
  • Drogas (vendas, valores de mercado) 
Isso só para ter uma ideia.
Não escondo que ao lado deste assunto há coisas interessantes, e muito. Por exemplo, na Deep Web é possível obter documentos que de outra forma não podem ser conseguidos: dados de qualquer tipo, acerca de muitas organizações (públicas ou privadas) que preferem manter tais dados escondidos (mas há os hackers...).

O problema é que, como afirmado, o risco é particularmente elevado. E ao lado destes dados "inocentes", na Deep Web convivem os aspectos mais violentos e degenerados do ser humano.

Não é minha vontade mostrar-me como uma pessoa pura, campeão de virtude que não quer misturar-se com os vícios dos comuns mortais. Não sou nada disso, como é óbvio. O discurso aqui é diverso, pois há vícios e vícios. A pornografia infantil ou os filmes snuff (que mostram mortes ou assassinatos reais de uma ou mais pessoas, sem a ajuda de efeitos especiais) não são vícios: são crimes e depravações, ponto final.
Pílula vermelha

Dito isso, uma consideração.
Descobrir este mundo provoca uma pergunta: como é possível?

Recentemente as autoridades da Alemanha intervieram para fechar um site na Deep Web com material pedófilo. Isso significa que, quando sob pressão, as autoridades conseguem individuar os autores dos sites, mesmo que encobertos pelo anonimato (tudo na Deep Web é anónimo). Isso não é surpresa: na internet profunda há os melhores hackers em circulação, mas as autoridades têm também recursos.

Mais: fala-se de "pôr ordem" na internet, fecha-se Megaupload, mas ninguém fala da Deep Web? O que é isso, uma brincadeira? Partilhar um filme é mais grave do que vender um cartão de crédito roubado? Partilhar o último cd de Madonna é pior do que permitir a circulação dum snuff movie?

Evidentemente não é assim. Então temos de procurar a explicação em qualquer outro lado.

Podemos pensar que, afinal, a Deep Web seja um fenómeno limitado. O que é verdadeiro e falso ao mesmo tempo. Sem dúvida, o total dos que frequentam a Deep Web não é comparável às pessoas que costumam navegar na web "normal". Mas os efeitos não são comparáveis: os prejuízos provocados por quem difunde (ou até produz) material pornográfico infantil são incomensuráveis, pensem só nas crianças vítimas dos abusos.

A Deep Web é um fenómeno limitado mas com implicações profundas que vão bem além do mero número de frequentadores. Então, porque é permitido? Esta é a razão pela qual fiquei de "cabelos em pé". Não foi a pornografia infantil, não foram as páginas com as instruções para planear um massacre, foi a "pílula vermelha" que tive de engolir e que mostrou uma realidade desconcertante: este mundo existe porque é permitido que exista.

Porquê?

Aqui deixo que seja o Leitor a encontrar a própria resposta. Eu tenho a minha opinião, óbvio, que tem a ver com a grande mentira na qual vivemos: se nada for feito para travar o problema da Deep Web, isso significa que a mesma Deep Web é funcional ao sistema. Mas gostaria de ler opiniões diferentes.
O anonimato: para combater o sistema

Uma nota final, um bocado complexa.

Após tudo o que escrevi pode parecer que a minha atitude em relação ao mundo da internet profunda seja totalmente negativa. Mas assim não é.

A Deep Web não é apenas pornografia infantil ou venda de drogas. Anonymous, por exemplo, "vive" na internet profunda e o mesmo se passa com todos aqueles elementos que são contra o sistema no qual vivemos. A Deep Web garante uma forma de anonimato (real ou provocada pela inacção das autoridades, este é outro problema) que é precisa para combater o sistema.

Podemos questionar acerca da bondade de algumas operações levadas a cabo por pessoas como Anonymous: mas, talvez, a mesma existência da Deep Web e a acção pouco incisiva das autoridades seja o sinal de que lutar contra o sistema afinal requer a exploração duma internet profunda.

Que fique bem claro: isso não justifica a pornografia infantil e tudo o resto, disso não há (nem pode haver) dúvida. Mas nem tudo o que circula na Deep Web pode ser negativo: entrar numa grande empresa, conseguir e divulgar material comprometedor e ilegal, tudo isso não é necessariamente negativo. É outra forma de fazer as pessoas abrir os olhos.

Porque os criminais da nossa sociedade não são apenas os que costumam ver pornografia infantil. Mais criminais ainda são aqueles que permitem a existência da pornografia infantil (como de outras coisas bem tristes) para um cómodo controlo dos nossos cérebros.


Ipse dixit.

Fontes: nem pensar.


Leia também A veb que tu não conhece !!!
 

3 comentários:

jader resende disse...

Comentário deixado no Informaçõa incorrecta

Caro MAX
Acabo de reproduzir em meu blog este poste, por um detalhe que me chamou a tenção.
Quanto a mim não tenho condições técnicas nem curiosidade, mas gostaria de destacar este paragrafo que atinge a todos diretamente.
Reproduzo abaixo o paragrafo.
Mais: fala-se de "pôr ordem" na internet, fecha-se Megaupload, mas ninguém fala da Deep Web? O que é isso, uma brincadeira? Partilhar um filme é mais grave do que vender um cartão de crédito roubado? Partilhar o último CD de Madonna é pior do que permitir a circulação dum snuff movie?

caetano da silva disse...

Eu só acho estranho uma coisa: Os caras conseguem dividir algo invisível construir um artefato que destrói uma grande cidade, mas não conseguem controlar uma internet? Pra mim isso tudo é permitido pelo governo até hackers é tudo trapaça. Pois se o governo quisesse acabaria com isso.
Quando digo governo me refiro aos poderes mundiais....

jader resende disse...

Caro amigo Caetano.

Acredito que tudo é só uma questão de domínio econômico já existente na internet. O que existe é um novo universo inexplorado que uma pequena fatia já esta dominada e a outra grande parte inexplorada mas que os poderosos podem estar repetindo a famosa frase: A terra é redonda e se você avançar o espaço conhecido vai cair no buraco. Ou seja o domínio nesse campo também já existe e nós simples mortais seremos castigados com leis que protegem o poder econômico seja por bem ou por mal e provocar o medo também é um deles, o mais comum e depois uma sofisticada rede de proteção ao poder, contra aqueles o povo que nunca podera ter conhecimentos alem do permitido pelos Deuses do dinheiro.

o software é desenvolvido através da combinação de ideias antigas e novas ideias. Os usuários querem compatibilidade. Os consumidores sofrerão com o patenteamento de inventos implementados por software e poderão ser aprisionados de modo indevido por corporações que terão o monopólio de algoritmos vinculados a um produto. Além de ferir o princípio constitucional de proteção à livre concorrência (art. 170, IV),  isso levará à demasiada limitação do consumidor no mercado de consumo por imperativo tecnológico injustificado, além de significativa restrição de sua liberdade de escolha, que é direito consagrado pelo Código de Defesa do Consumidor, a ser compatibilizado com o desenvolvimento das novas tecnologias,  conforme determinam seus artigos 4, III, e 6, II.  O monopólio do conhecimento gera dependências inaceitáveis, preços inadequados e pode afetar negativamente a qualidade e o ritmo de inovação, bem como aumentar a vulnerabilidade do consumidor no segmento de softwares.
Tais considerações implicam na proposta da rejeição de toda e qualquer patente envolvendo invenções, implementadas por programa de computador.


Enfim existem bons artigos como o acima citado que merecem ser lido.

Abraços