domingo, 29 de abril de 2012

O Medo

buscado no Aventar



No fim-de-semana passado, reparei que a Fnac tem à venda algumas das obras do filósofo indiano J. Krishnamurti (1895-1986), editadas pela Presença. Krishnamurti foi um autor que tive muita dificuldade em encontrar há quinze anos.
Fiquei com vontade de reler o único livro que tenho deste pensador fabuloso que escreve sobre vários temas como, por exemplo, o Medo. Em O Verdadeiro Objetivo da Vida, Krishnamurti dirige-se a jovens e a seus professores nestes termos:
Há inteligência quando não se tem medo. E quando é que vocês têm medo? (…) é da própria essência da educação ajudar o estudante – a mim e a vocês – a tomar consciência das causas do medo e a compreendê-las (…).  A maioria de nós tem medo. (…) quase todas as pessoas no mundo, têm algum tipo de medo a roê-las por dentro. E não será função da educação ajudar o indivíduo a libertar-se do medo, de modo que ele possa ser inteligente? (…) Se uma pessoa tem medo, não poderá ter iniciativa no sentido criativo da palavra. Ter iniciativa (…) é fazer alguma coisa original – fazê-la espontaneamente, naturalmente, sem ser guiado (…). É fazer algo que se goste de fazer.
Nota importante: Krishnamurti não entende a inteligência como a “astúcia ou tentativa de ser mais esperto para passar os outros para trás”. Segundo este pensador, a educação pode ajudar a citar Shakespeare ou Voltaire e outros, mas se não se cultivar a inteligência, ajudando o aluno a ser criativo, a pensar livremente, ajudando-o também a descobrir a sua verdadeira vocação, ”qual há de ser o sentido dessa educação?”. 
Uma ideia a reter das suas palavras: o medo, seja ele qual for, é uma das barreiras da inteligência.
Fica a sugestão de um autor a descobrir.

3 comentários:

Janice Adja disse...

Morro de medo de barata, rato e bandido.
Beijos!

jader resende disse...

Janice Adja, barata e rato eu não tenho, agora bandido de gravata, anel de formatura e rouba, esse eu morro de medo. Diante de qualquer protesto, transfora a vitima num terrorista feroz e sanguinário ou a condenada por aliciamento de menores, atentado violento ao pudor contra crianças, estupro de camareiras de hotéis e por ai vai.

Grande abraço

Curiosidades disse...

bandido de gravata eu tenho pânico.